domingo, 18 de agosto de 2013

A Rainha de Copas que habita meu corpo

                       Num passado não muito distante jamais conceberia a possibilidade de viver sem resistência, dentro de mim havia um movimento contrario ao que fluía a minha volta e isso me fazia um ser absolutamente racional e defendida e com um coração duro e fechado, o que tornava minha energia mais pesada e rude, mostrando que meu feminino, minha porção mulher estavam totalmente apagadas. Tempos depois e já com esta consciência adquirida, perguntei a uma amiga que é professora de dança se através da dança, poderia trazer leveza e suavidade para minha pessoa, sua resposta foi uma das palavras mais sinceras que ouvi naqueles tempos, ela carinhosamente e realisticamente me disse que essa leveza não vinha do corpo e sim da alma.

         Por esta e muitas outras razões aprofundei mais ainda meu caminho no autoconhecimento jamais desisti de me encontrar, trilhei vários caminhos, aprendi e apreendi muitas técnicas e filosofias, caminhei pelo mundo espiritual e pelo mundo terapêutico, sempre em busca de mim mesma. Minha estada na Índia no resort do Osho foi transformadora, fiz faculdade de muitas vidas em dois anos , reciclei, transformei e revisitei muitos aspectos da minha pessoa, voltei ao Brasil em 2008 e desde então venho juntando internamente todas as minhas partes que 
estavam espalhadas, sempre em busca da minha essência.
          
          Olhando para trás, através de um percurso cheio de pedras e montanhas no caminho com desafios assustadores, vivi os aspectos mais sombrios de traições, a estrada era tão longa que não via seu final , porem hoje escrevendo como testemunha da minha historia , vivenciei numa noite de sono a Rainha de Copas surgindo na plenitude do feminino me trazendo um recado, que me fez pensar e elaborar, após refazer o percurso descrito nos parágrafos acima , entendi que a própria Rainha de Copas me anunciava o fim de um longa jornada, observei minhas emoções nos últimos tempos e entendi o recado, finalmente cheguei  à minha essência, feminina, intuitiva, sonhadora e com uma bagagem de vida transformada em lições e aprendizados.
           
             Esta Rainha de Copas simboliza a união de varias energias femininas que me inspiram desde sempre, as minhas Ancestrais desta e de outras vidas , minha mãe Yemanjá, que me cuida, da Maria Padilha das Almas, que mesmo sem minha consciência me acompanhava nos piores momentos,  das Ciganas queridas que me inspiram e me deram o dom das Cartas, todas dançam a minha volta e festejam juntas, este grande momento, celebrando a união de varias energias através do meu estado de ser. A elas minha gratidão eterna.

          Ainda tenho muito que aprender, mas a sensação de retorno a minha anima é indescritível, a plenitude de mulher me acolhe e me faz inteira para compartilhar com os que me são queridos e os que  me buscam para compartilhar meus aprendizados em consultas ou em aula. Desta forma encerro emocionada  este texto com muita gratidão aos amigos de caminhada do Céu e da Terra. 
OBS : Nao consegui postar fotos , e entao decidi tocar o Jardim do Vander Lee pra representar este texto : Clique aqui

10 comentários:

  1. Que lindo! E que a força das Ancestrais encha teus caminhos de luz, amor e bênçãos! <3

    ResponderExcluir
  2. Paloma Niskier, e sempre bom ter voce como testemunha e amiga , bjs

    ResponderExcluir
  3. Val , obrigada por suas palavras, bjs

    ResponderExcluir
  4. Lindo! Enquanto lia a minha mente viajava no tempo. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Regina Guigou ,que bom que vc captou a ideia :) bjs

      Excluir
  5. Prem Mangla, plena de lindezas...bjus querida!

    ResponderExcluir
  6. Sonia Boechat , uma honra ter você aqui no blog! bjus

    ResponderExcluir