segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Medium Joao de Deus - Abadiania

Hoje é uma segunda feira depois de estar na semana passada numa experiência intensa em Abadiânia, mais precisamente na casa de Dom Inácio de Loyola
http://joaodedeus.com.br/plus/      ou  
https://www.facebook.com/filhosdacasa/?fref=ts 
Onde atende o médium Joao de Deus, com quem fui me consultar. Eu e uma infinidade de pessoas de todas as partes do mundo. Uma lindeza de ver como as sementes do amor e da espiritualidade estão sendo plantadas e florescendo nas mais geladas superfícies e corações, que além de suas mazelas pessoais nasceram em lugares rígidos e gélidos, me encanta ver o olhar de cada ser que esta ali numa mistura de gratidão e esperança por curas impossíveis aos olhos da medicina tradicional dos homens. Mas ali a fé é plantada, divulgada, sentida e esta florescendo lindamente, num espaço chamado Casa de Dom Inácio de Loyola, carinhosamente conhecida como CASA, que acolhe a todos e todas que ali chegam. 
E eu também fui acolhida pela energia de Joao de Deus e sua Casa, onde vivenciei depois de quatro anos um novo atendimento, a sensação é de que é sempre a primeira vez que chego ali, novas sensações, novos aprendizados e claro que as experiências foram obviamente diferentes das outras vezes, porque eu já não sou aquela pessoa de uns anos atrás. A bela paisagem circundante e o ambiente de prece são um convite a reflexão e oração, estes são ferramentas para abrirmos o coração a novos olhares e estilos de vida, num reciclar de emoções. Porem o ponto alto e quando a fila anda e você se vê diante de Joao de Deus e sua falange de Guias e Mensageiros para ser atendida e ouvir suas palavras. Muito emocionada e o coração transbordado de gratidão passei pelo médium e recebi meu atendimento. Nos dias seguintes, pude meditar em sintonia com as orações da Casa. 
Fiz também um atendimento que acontece do lado externo ao salão de meditação que é a Cama de 
Cristal (Cristal Bed) um aparelho que possue cristais nas posições dos chacras e durante 20 minutos ficamos expostos à luz e aos cristais para alinhamento dos chacras, muito bom, vale super a pena. 
Os atendimentos com o médium acontecem na quarta, quinta e sexta feira, cada um vai ao seu tempo e na sua disponibilidade. 
Para se hospedar existem pousadas para todo o preço e a alimentação e bem saudável nos restaurantes próximo a Casa com preços bem accessíveis. Desta vez fiquei na pousada Mae de Deus; (https://www.facebook.com/pousadaabadiania/?fref=ts), onde a Bianca e a Silvia me receberam com muito carinho e me orientaram  sobre a consulta e tratamentos. No translado do aeroporto você pode ligar pro Mateus no Tel.: 62 99748040, que ira te atender com simpatia. Pois tanto os motoristas quanto o pessoal das pousadas são voluntários na Casa e prezam a simpatia e o bem estar do hospede em seus dias de tratamento. 
Durante os dias de atendimentos com o médium Joao de Deus, pede-se que nos vestimos de branco; E na quarta feira aquela parte de Abadiânia amanhece vestida de branco. Foram dias de encontrar e compartilhar com novos e velhos amigos são trocas preciosas para quem esta buscando a si mesmo, a cada conversa surge um novo aprendizado.
Que eu possa voltar o mais breve possível, por hora estou revigorada para seguir com as aulas e atendimentos aos Oráculos.

     Feliz 2017 !!!  

domingo, 18 de dezembro de 2016

O Vendedor de Sonhos(Filme)


Acabei de chegar do cinema completamente emocionada, porque como Taróloga e meditadora, me busco o tempo todo, compartilho experiências e aprendizados com clientes e alunos. E aqui vai mais um texto compartilhando minhas impressões sobre o filme, O Vendedor de Sonhos de Augusto Cury com a brilhante direção de Jayme Monjardim.
Assim despretensiosamente fui ao cinema sem saber o que esperar do filme de Augusto Cury – O Vendedor de Sonhos, que começa com um homem tentando o suicídio no 21º Andar mostrando ao publico o ângulo exato e a sensação de estar num andar muito alto provocando reações adversas em cada um da plateia, sabe como sei? Porque durante duas horas de filme cada expectador se expressava em voz alta, a mocinha do meu lado comentava com a amiga a expressão exata dos meus pensamentos, o rapaz da fila de trás exclamou a compreensão de todos no cinema, foi interessante a experiência diante de um filme que mostra a fragilidade humana em vários níveis, apresentando um roteiro digno de CSI, instigando o publico a questionar e despertando a capacidade de observação de cada um de nos na assistência.
O filme questiona um psicólogo que chega a seu limite quando se da conta da incapacidade de ajudar seu próprio filho e tenta o suicídio e mostra um ser que é chamado de Mestre e durante o filme cita varias versões de sua própria experiência com muita sabedoria e eloquência, despertando muitas emoções durante a trama entre os personagens e também na plateia.
O grande questionamento do filme é sobre o ser humano, sua dor e fragilidade e de como as administramos, pois nos levam a atitudes extremas de acordo com a intensidade da dor podemos chegar a um estagio de buscar saídas de formas inusitadas, o filme mostra bandidos e mocinhos e seus estágios de dor, loucura e excessos e ganancias, durante o filme uns buscam a fuga da dor da alma, cada personagem com seu enredo e o filme mostra também a ganância por poder e dinheiro que fazem alguns se perderem de suas éticas e valores morais que também vem de suas mentes, ou seja, o filme fala da loucura e vários ângulos e pontos de vistas.
Linkando o personagem principal que se chama Mestre ao Louco do Taro que durante o filme em sua historia pessoal transitou por vários tipos de loucura de acordo com suas crenças e ao longo da narrativa nos revelado que vivenciou um trauma tão doloroso que foi internado em um manicômio e quando saiu passou a viver a loucura de se observar e evoluir através do outro que surge inusitadamente em seu caminho, vivenciando uma libertação de sua alma e ensinando aos personagens que lhes cruzam o caminho o prazer de se libertar de suas prisões internas e nosso Louco do Taro nos traz um conceito de liberdade apoiado pelo instinto (representado pelo cachorro) e que pela historia pessoal de cada ser que abre as cartas e buscam respostas das laminas, este Louco como numa caixa de surpresa nos traz a insanidade de vários níveis e a inocência dos seres de bom coração um arquétipo tão complexo quanto o enredo do filme.
Não sou pessoa de fazer spoiler e contar o final do filme, mostrei aqui meu olhar sobre um filme poético e delicado com um tema tão atual quanto à própria realidade deste final de 2016; A sugestão que faço e que levem lenço de papel e se abra para a experiência, pois com certeza sairemos do cinema instigados a nos aprimorar como seres humanos. 




quinta-feira, 20 de outubro de 2016

A Raposa

Baralho Cigano
Magiche Lenormand
Ao longo destes anos de Cartomante e Professora de Lâminas, aprendi que as cartas e seus significados tem vários ângulos para serem aspectados e alguns lados tem muita luz e fazem da cena, um belo filme, em outros, o ângulo  mais sombrio praticamente sem luz, surge em algumas consultas tornando-se cena dos mais tenebrosos filmes de terror, nos mostrando qu e o cliente a sua frente esta confiando em demasia em quem esta lhe tirando proveito; Este e um fato que tenho observado como  um ponto forte em algumas consultas que é o
LADO SOMBRIO DA RAPOSA. O significado da carta por si já traz uma tensão pois inicialmernte já alerta para Lobos em Peles de Cordeiro e consequentemente um pedido para que o consulente se torne mais alerta  em quem confia. Quando a Raposa surge num jogo , já peço cautela e sigilo de seus projetos e segredos de foro intimo, mas, a astúcia e sedução da raposa, absorve a atenção se tornando um confidente ilibado dos menos avisados se considerando “amigo” de uma Raposa, fique esperto, porque a pureza e ingenuidade do seu olhar serão potencializados por esta dócil Raposa que a principio se tornará imprescindível em sua vida,
fazendo parte de sua rotina e na convivência as confidências são inevitáveis; Então, depois de muito tempo já com a confiança estabelecida e a vida seguindo o fluxo é que se inicia a trapaça desta Raposa, infelizmente não se percebe de imediato, alguns nunca percebem, outros depois de um tempo se dão conta de algo estranho  e começam a ligar os pontos e mesmo que demore, a verdade surge na tela como uma cena de filme de terror e no pensamento vem a frase “Como não percebi?”  A maldade esta na ideia de quem a possuí, então se não tenho intenção de me beneficiar com o outro e sim compartilhar , a principio sigo o fluxo, porem quando a venda dos olhos cai e a verdade surge nítida e cheia de certezas e a Raposa percebe que foi descoberta, passa a se  vitimizar perante a conscientização do outro e numa tentativa desesperada de manter sua pele de cordeiro se faz de coitadinha para os outros, colocando quem despertou, como o grande algoz . Infelizmente é uma historia mais comum do que se imagina,  porem as Raposas sempre existiram nos lembrando que nem tudo que reluz e ouro e que tudo na vida tem vários ângulos. E o angulo
positivo desta historia e o aprendizado e crescimento, mesmo com alguns percalços se tornam lições de vida para nosso crescimento e evolução, para que nos tornemos o melhor lado da Raposa que é o estado de alerta e a rapidez de raciocicinio em nossa própria vida. 

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Sobre as Meditações Ativas do Osho

As Meditações Ativas do Osho se diferenciam das transcedentais e de outras técnicas mais conhecidas por terem sido cientificamente criadas pelo próprio Osho que para não dissociar corpo e mente utiliza-se de movimentos corporais como ponte para sensibilizar indivíduos das mais variadas preferências e personalidades e levá-los ao silêncio interior.

Durante uma hora de vivência, interagimos e vivenciamos três, quatro ou cinco estágios para, durante esses 60 minutos, exercitarmos a meditação através de sensações provocadas pelas técnicas que nos fazem dançar, rir, murmurar, chacoalhar ou provocam catarses. Todos esses recursos nos proporcionam estágios entre relaxamento e observação e, na sequência, temos pequenos intervalos para vivenciarmos nosso silêncio interior. Este silencio não é adquirido de um dia para o outro, ele é praticado durante a meditação, quando os pensamentos nos atropelam e a mente nos agita para tentar nos tirar do foco e do propósito do exercício. 

A sugestão para o êxito dessa experiência é não se apegar ao pensamento, deixando-o seguir em frente. Isso porque, em seguida, certamente virão muitos outros ao longo daqueles 10 ou 15 minutos, e o estado de observação nos levará a não nos apegar àqueles pensamentos para ampliar os vácuos entre as reflexões.

Como tudo na vida demanda muita pratica, o mesmo vale para a meditação. Com a sequência das sessões, poderemos experienciar ao final dessa uma hora uma sensação de leveza. Nos dias seguintes, nos perceberemos gradativamente mais atentos e sensíveis também às nossas posições diante do mundo. Este é o grande objetivo das meditações do Osho: a observação de si mesmo, trazendo um autoconhecimento capaz de que nos fortalecer e apaziguar nossos sentimentos.

Esse processo nos dá sabedoria para enfrentar as mazelas da vida que nos acometem sempre de forma inusitada, provocando, antes de qualquer coisa, o impacto da surpresa. Apesar de esse choque tentar nos tirar do eixo, adquirimos, ao longo destas práticas, tranquilidade e a capacidade de observar a situação sem julgamentos para, então, tomarmos um posicionamento. Esse é o aprendizado, pois, diante de um desafio, temos duas escolhas: nos vitimarmos e entrar em desespero ou observar, respirar e buscar soluções.

Quando nos permitimos vivenciar as Meditações Ativas do Osho, nos abrimos para um novo espaço, um espaço individual observado sem criticas alheias, pois apenas nós sabemos o que é necessário para nos mesmos. Ao longo destas práticas, redirecionamos o olhar para nosso interior, nos permitindo ver sem julgar e, pouco a pouco, podemos revisitar memórias antigas que já são desnecessárias para nós e acabam nos provocando dificuldades na atualidade.

Através das Meditações Ativas, vamos nos conhecendo cada vez mais e desvendando nossos próprios mistérios e passamos a nos responsabilizar por nós mesmos. Elas não nos tornam egoístas, mas nos transformam em pessoas sensíveis às nossas necessidades diante das experiências da vida. Não podemos calçar um sapato de outra pessoa de tamanho menor, por mais boa vontade que tenhamos, aquela forma não cabe em nós.


Alguns improvisam recortando o bico do calçado, e caminham dessa forma ao longo da vida, fazendo esforços e abrindo mão de si mesmos para se encaixar em mundos alheios, na tentativa de ser “como eles”. Esquecem-se, porém, de que não são como os outros. Cada individuo é único e, uma vez que conhecemos nossas características e as acolhemos, somos mais serenos. Da mesma forma, a cada avanço e aprendizado, transformamos a qualidade de nossas vidas, pois a certeza de ter encontrado nossa própria rota torna a caminhada mais colorida.