sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Momento de Reavaliação - A Justiça e o Eremita

Estamos entrando no ano de 5771, no calendário judaico,  nós os judeus temos dias intensos de oração e reavaliação interna, revisando o ano que passou, nossas  atitudes e as conseqüências destas , nos arrependemos dos possíveis erros cometidos pedindo perdão a Deus e para que sejamos inscritos no livro da vida, são 10 dias intensos de reavaliação e oração . Esta é a tonica dos dias iniciais do ano novo judaico,e como taróloga, estive preparando a aula de uma de minhas turmas para a semana que antecede o dia do perdão , que cai exatamente nas cartas 8 e 9 do taro , como nada é por acaso e eu também estou me reavaliando , resolvi refletir sobre as cartas do taro numa ótica mais abrangente.
Na carta 8,  a Justiça, nos deparamos com a lei de causa e efeito;  Ou seja,para cada ação existe uma reação correspondente, quando tudo na vida flui naturalmente é o que se pode chamar de merecimento por ações positivas. Porem, se nos vemos frente a situações que sem razão aparente vira e mexe, retornam a uma mesma conseqüência negativa, como um DVD quebrado, vemos a mesma cena se repetir diante de nós ao longo da vida ,como protagonistas de nossa própria historia, nos vemos diante de um mesmo filme, de uma mesma situação em que só mudam  os demais personagens e cenários, mas aquele enredo ...  Tão conhecido por nós, continua repetindo até que o entendimento de que não somos vitimas de nada e nem de ninguém e sim, que somos os responsáveis, fomos nós que provocamos (mesmo que inconsciente) aquela situação, então à luz da consciência  passamos a ter a  coragem de assumir a responsabilidade dos nossos atos  , mesmo que estes atos vieram de tempos tão antigos quanto de uma vida passada . Como sair deste rodamoinho? O primeiro passo é o perdão , quando nos perdoamos, soltamos as amarras deste aspecto da nossa personalidade e conseqüentemente passamos a ter o coração livre para perdoar o outro e também ser perdoado por ele, perdoar implica em desapegar de velhos sentimentos negativos que se transformaram em correntes e grilhões ao longo do tempo, dificultando qualquer tipo de evolução e crescimento. Os desafios e dificuldades continuam, fazem parte do processo, o que modifica é o nosso olhar e sentir. É uma nova dimensão para um antigo problema, o que era pesado, torna-se menos pesado e de fácil digestão, isso é a transformação; Para ser feliz precisamos de coragem e paciência, pois enquanto estivermos na busca, estaremos motivados e emocionados para seguir em frente e agora mais íntimos de nós mesmos passamos a ser nossos melhores amigos e com outra compreensão dos movimentos diante da vida, podemos reconhecer o que é nosso e o que é do outro. Passamos a ser nossos próprios mestres, reconhecendo o eremita (carta Nove) em nossos corações, ele nos proporciona um caminho pessoal e intransferível na busca de nossa essência e luz. Que no ano novo que se inicia possamos estar mais inteiros, conscientes e com a coragem necessária para realizar os movimentos de mudanças  anunciados pela carta 10 .

Shana Tova – Feliz Ano Novo.
Prem Mangla

Nenhum comentário:

Postar um comentário